martedì, gennaio 19, 2010

A tarde mais longa...

A porta não abre.
Já é final de tarde.
Não ouço passos no corredor.
Só o silêncio.
Perturba.
Machuca.
Invade.
O cheiro não desliza pelas horas vagas.
Nem o toque calmo é na pele dado.
Só o vazio consternado.
É silêncio.
E eu divago.


Durmi hoje até tarde.
Confidenciei para as paredes claras a ausência.
Os braços retorcidos.
O relógio despertava.
Permanecia ali deitada no soar da chuva.
E chovia. Chovia.
E eu vazia, queria nada.

É final de tarde.
Desligo o computador.
Viro as costas.
Fecho a porta.
Vou embora.
E hoje foi o dia mais longo daquele lugar.
E eu a divagar.

1 commento:

Serge Cornillet ha detto...

Me gustan tus fotos! Estamos compartimos la misma pasión.
Un saludo,
Serge