martedì, luglio 19, 2011


Feridas fundas...
calam, ecoam, se precipitam...
são poesias presas na garganta...
mãos intocadas
pés que não andam
...a ferida muda
que sobre a pela nua
procura sentido
no 'in'sentido mundo
que já não sente mais aquela 'fragrância'

2 commenti:

José Eron Lucas Nunes ha detto...

"...poesias presas na garganta..." Tão simples e tão genial. Por que nunca me ocorreu escrever isso?
Gostei da poesia!

Anonimo ha detto...

sua lenda e um maximo