sabato, giugno 16, 2007

Poetas são tolos, tolos somos todos! Grito de dor!!


Falava na outra poesia dos dias e dias..Os mais brandos, os mais poéticos, os mais corridos e por isso não tão bonitos, mas o fato é que meus dias tem sido assim, um contínuo palavreado poético na busca de fugir da própria realidade. Não que a realidade, tenha que estar distante da poesia, ao contrário acho que com poesia ela fica no minímo mais interessante. O problema é que a poesia passa a ser o refúgio para explicar a falta dos amores, dos sabores, dos olhares. A falta de vontade de estudar, a falta de vontade de ir na aula, a falta de vontade de trabalhar...

Sim, aí como poetas nos isentamos das culpas e escrevemos, crentes de que nas poesias encontraríamos respostas, explicações, conforto e justificativas. Tolos, poetas, tolos todos nós, que passamos horas escrevendo como se assim pudéssemos expurgar todos os nossos sentimentos, sem que o mundo perceba, sem que o mundo se de conta da nossa existência. Sim, por que escrever escondido no quarto, ou nesta sala escura que estou agora, é se reprimir por detrás das cortinas do mundo, e silenciosamente ecoar nas entrelinhas da poesia o grito desesperado de quem está cansado da espera, da falta de vontade, do seu fracasso...

Impotentes perante a vida os poetas se distanciam do mundo e de si mesmo, para escrever, profetizar lendas e mistérios que encantariam o mundo, que deixariam os humanos mais compadecidos de sua dor. Se encarnam em metáforas perpassadas de alegorias e assim criam no seu mundo imaginário um distanciamento do mundo real. Por isso sofreriam menos quem sabe, afinal seriam apenas visionários de seus próprios caminhos. Tolices o tempo todo...

Poetas são tolos, tolos somos todo nós, que escondemos o que sentimos, que se refugiamos nas entranhas da nossa essência por medo de falar, por medo de viver e assim escrevemos poesias, metáforas, citações, assim viajamos no nosso próprio desgosto pela vida e emudecemos em ações, em perturbações, sofremos, enfim, quietos, miúdos, dentro de nossos papéis cavernosos, e-mails proclamados, espera infindável...

Poetas são tolos, tolos somos todos nós, mais tola sou eu que mais uma vez faço rodeio em meio as entrelinhas deste texto com intuito de desviar sua atenção caro leitor do mais óbvio e claro objetivo de estar aqui: Desabafar, me esconder, gritar, ecoar nas linhas emudecidas deste texto o que de fato sinto, já que perante o mundo sou apenas mais uma tola poeta que sonha consigo mesmo, que vive enclausurada nos seus desejos, que perpetua presa nas suas prisões, que sofre a espera da decisão nunca tomada, que ama incensatamente o improvável, que construi um mundo à parte e que a partir dele acredita que o mundo é uma grande sinergia descompassada consigo.

Depois de proferidas tais palavras, me privo de olhar nos olhos, de tocar a pele, afinal para que o toque se minhas poesias já te disseram tudo que havia para te dizer...Fodam-se poesias, se fodam entrelinhas, se fodam os e-mails, se fodam as ausências, se fodam os olhares e as palavras frias...Eu quero gritar para o mundo ouvir que eu posso, que eu quero, e que eu preciso TE AMAR!!!!

Explodindo no descompasso do ritmo acelerado dos meus desejos infindáveis, cá estou mais uma vez para quem sabe me ouças de leve, para que quem sabe me leias de leve, e através disso venhas de leve me abraçar!!!!!


Fran Rebelatto num dia e num desabafo incontido de vontade de gritar...GRITAR, GRITAR, GRITAR..Não aguento mais!!! Não aguento mais!!!

6 commenti:

vida de vidro ha detto...

A poesia não pode mascarar a vida. Quando muito é um reflexo da vida.
Até percebo a tua vontade de gritar mas, se viveres cada dia em pleno, a tua poesia também será mais plena. **

delusions ha detto...

"tolos somos todos!" não posso ter mais para dizer quando a poesia anima os meus e os seus gestos, os nossos escritos gritos de dor, escritos para não ecoarem no ar. tolos somos todos.

bjinho* boa semana

Maria Clarinda ha detto...

"...Depois de proferidas tais palavras, me privo de olhar nos olhos, de tocar a pele, afinal para que o toque se minhas poesias já te disseram tudo que havia para te dizer..."
Gostei...
Jhs mil

Secreta ha detto...

Não contenhas as palavras , os gritos ... sê tu mesma , sempre.
Beijito.

Sonhos e Devaneios ha detto...

A poesia e a metafora da vida com certeza. . . Projetamos nela aquilo que vivemos e que sentimos e fazemos dela uma declaração de amor de paixao.
Beijos joao

Anonimo ha detto...

O poeta deve sentir que há algo de errado no mundo, e porque não, em si mesmo, e tentar mudar o mundo, a partir de si mesmo. Seu desabafo é justo, suas dúvidas são justas, e não estar satisfeito com o mundo, e principalmente, consigo mesmo, e querer melhorar, é um sinal de crecimento. E hoje eu sei disso!! Está tudo errado! nossa vida, nossos desejos, nossos gostos, nossas motivações. tudo errado! e vem daí nossa angústia, isso é um sinal de que não concordamos com tudo isso. Continue assim, Francieli. Um abraço! E desculpe, se pra você tudo que falei, não passaram de tolices.