sabato, febbraio 27, 2010

Boa noite, Verônica


é silêncio...é noite
Tambores ressoam do íntimo
Tudo é silêncio
Nada é silêncio

Ambiguidades. Fluidez
Tudo é construção

Ah, os humanos, vagos humanos
No estático perdurar da vida
E as águas marinhas...
com vida eterna

Mas nada é eterno
Tudo é eterno
Terno e interno
silêncios que gritam
E as pesadas mãos sobre o piano:

Boa noite, Verônica!!!

1 commento:

Céu de Fadas ha detto...

lindo teu blog, achei ao buscar um texto sobre uma das minhas grandes paixões a música ( pessoas são como música)

ah achei maravilhoso o teu post e fotos de borboletas - outra paixão adoro observá-las tbm!
bom fds!