venerdì, settembre 05, 2008

No espelho..me toquei...

A alma estrangulada se retorce ensurdecedoramente. As entranhas saltam por entre correntes de sangue quente. O sangue geme. Tudo procura carne. Tudo procura novos tratados. Vermes corróem. As veias dilatam-se. Queria partir. A alma porém sem asas. Os olhos porém sem lágrimas não querem cantar. Não caibo mais em poesia. E o grito dilata tímpanos. O espelho vai explodir. Toca minha garganta. Esquece meu coração. O espelho vai explodir na madrugada. Insônia. Loucura. Aflição. A alma estrangulada quer cantar.

2 commenti:

Nilson Barcelli ha detto...

Para além de boa fotógrafa, a Francieli é uma excelente poeta.
Metafórica e linda.

Bom fim de semna, beijinhos.

rock and blues ha detto...
Questo commento è stato eliminato da un amministratore del blog.