giovedì, luglio 26, 2007

Sopre-me! Quero partir desse vazio, dessa solidão!


Um vazio latente. Um cheiro de nada latente. Um grito apertado. Uma lágrima na garganta. Uma saudade na alma. Uma procura incontida pelo que não vejo. Uma verdade inconsolável que me atordoa. Um passo desacertado rumo ao que não temo. Uma angústia constante pelo que não tenho.


Um vazio que me atormenta. Uma dia que não se acaba. Uma noite que não promete. Uma cama que me diz nada. Um corpo dilatado. Uma confiança desacertada. Uma vida sem palavras. Uma garganta com elas apertada. Uma mão que escreve desalinhado. Uns traços que correm do meu lado. Uma vontade do que não sou. Uma inverdade no que nunca tive.


Um vazio dormente. Uma incerteza penetrante. Uma visível inconstância de olhares. Uma tenra vontade de fugir. Um caminho para o nada. Um nada que desconheço. Um descobrimento contínuo de olhares.


Um vazio vazio. Um dia vazio. Uns olhares vazios. Umas mãos vazias. Uma alma vazia. Uma inquietante noite vazia. Porém a garganta presa e nem tanto vazia.

5 commenti:

Klatuu o embuçado ha detto...

Belo texto... menos alegre, pelo vazio.

Dark kiss.

Valsa Lenta ha detto...

Um vazio cheio de nada... quem nunca o sentiu?
Quantas vezes se procura no exterior... quando tudo se encontra no interior. No íntimo de cada um.
Já alguém dizia que "a vida é como um piano. São tão necessárias as teclas brancas como as negras."

Felicidades

serenidade ha detto...

O vazio preenche-se aumentando o auto-conhecimento, tomando percepção das nossas fraquezas e das nossas virtudes e aceitando ambas, pois fazem parte de nós:) digo eu que nada sei e apenas estou no início de uma longa caminhada.

Bom fim de semana.

Serenos sorrisos.

In illo tempore ha detto...

Conheço o vazio demasiado bem...

Beijo

Secreta ha detto...

Um vazio que precisa ser combatido para deixar de fazer-te "mal" .
Beijito.