mercoledì, agosto 08, 2007

A eternidade!!!



Me aninharia no teu colo
e ali permaneceria
com o perfume das palavras mansas
com a destreza das mãos faceras
Permaneceria em paz!!
Pelo menos um instante!

Mas assim como voltas
vai..
Assim como diz
não diz
Assim como sente
petrifica
Assim como olha
evita
Assim como vens
Vai!!!
assim como quer...

não vive.

6 commenti:

Renegado ha detto...

Chato ser o primeiro a comentar, dado que voc}ê não me conhece.
mas não pude resistir a tão bela escrita com tanto sentimento, descontraído e´verdade.
Voltarei mais vezes =D

vida de vidro ha detto...

Nós queremos sempre a estabilidade, a certeza. Quando não existe... é a inquietação que transparece nas tuas palavras. **

Francieli Rebelatto ha detto...

Sim, sim, renegado quem sabe não lhe conheça, quem sabe lhe conhece muito mais, mas que bom que não resiste a minha escrita, ela está aqui para seduzir, ao menos para tocar meus leitores de alguma forma, sentimento, sim, muito sentimento em meio a tudo isso, o tempo todo, pois é a sensibilidade que cria as mediações de nossa vida e assio fazem parte da nossa existência....

Vida de vidro, muita inquietação, muita mesmo...Sempre em cada entrelinha, em cada olhar!!!

Beijos

Klatuu o embuçado ha detto...

No 3º verso falta um «a» em «palvras».

Dark kiss.

Nilson Barcelli ha detto...

Espírito de contradição...?
Belo poema, embora numa abordagem de amor incerto...
Bom fim de semana.
Beijinhos.

brisa de palavras ha detto...

A razão a estabilidade persegue-nos e tantas vezes não é possivel...
um abraço
brisa de palavras