martedì, luglio 25, 2006

Uma porta, sempre aos meus olhos, nem sempre aos teus...

A dualidade das idéias ou seria o contradizer de opiniões, enfim não se pode responder com exatidão, quando falamos de relações humanas, de diferentes percepções da realidade. Vivemos numa busca constante de persuadir o outro através do que acreditamos, não é mesmo? Mas, como conseguir conquistar o outro, ou então apenas fazer com que esse outro aceite o que dizemos e acreditamos?

Uma resposta muito difícil de se responder, creio eu, se não fosse o fato de que estudo semiótica. Sim, devemos buscar o outro a partir de suas necessidades, até por que se o buscamos é por que já temos alguma necessidade em relação ao outro. Mas, alguém poderia me ensinar a fórmula para saber qual a necessidade do outro, se nem mesmo nossas necessidades temos conhecimento.

Mas, por que me coloco a escrever essas complicações da comunicação, que na verdade são as complicações com que lidamos na nossa vida? Por que, é isso! Lidar com necessidades, com desejo de persuadir e principalmente com pessoas é sempre um desafio, até mesmo para nós que nos dizemos comunicadores.


O fato é amigos, que quando se sentirem com a garganta arranhando, com o coração acelerado e com lágrimas cutucando o fundo do olho, nunca esqueçam que seres humanos têm necessidades diferentes e que isso basta para justificarmos o fato de nem sempre nos entenderem. É pode ser decepcionante, mas, no entanto não vale e pena se contrapor as diferenças, temos que tentar entendê-las por mais que saibamos que um pouco antes atrás da cortina os seres humanos te fizeram acreditar em outra coisa.

Diferentes de muitas das outras vezes me calo. Por que? De repente por que não tenho razão, de repente por que não vale a pena se contrapor a indiferença. De repente por que sou covarde mesmo. Mas, quem não foi um dia?

Uma porta? Aos meus olhos quero que seja e aos teus será que conseguiremos ultrapassar?

2 commenti:

Fernando ha detto...

Calaste? Meu Deus, quem diria...

Olha só, eu Nào faço essa tale semiótica, mas compreendo o que queres dizer. eu acho..ehheheh

A porta está aí, aprsentando algumas dificuldades é certo, mas vale tentar, não acha, espero que tenha, mesmo que se calando, ou te calando???

Bela foto, não é das melhorse do mundo, mas o que expressa com elas é incrível, até um leigo como eu é capaz de entender...beijocas menina

ClariDeggeroni ha detto...

Tem mais coisas entre a semiotica e o quotidiano do que supoe a nossa [van] filosofia.... Durante os devaneios na aula do Adair me saiu essa: a Semiotica olha pelo microscopio das palavras...
Acho que vale a pena contrapor as diferencas, (isso amplia a nossa visao de mundo): no jornalismo quase sempre, jah nas relacoes pessoais temos que medir a sensibilidade do outro antes de falar. Bem,... praticar eh bem mais dificil do que esse pensamento idealista...
Quanto as fotos, concordo plenamente com o tal Fernando Said, o Adair devia analisar nas aulas! Sem exagero!