lunedì, luglio 31, 2006

Ruínas da minha alma? Ou apenas ruínas...

Frestas frias e vazias
Cores quentes e ensolaradas
Ruínas que te devorarias
Da ação quase impensada.


Espaços entreabertos
Raios de sol devagar
Teus olhos encobertos
Da mais breve vontade de te olhar.


Penetras ali, como penetras em mim
Sinto-te vazio, como te sinto aqui
O vento que toca sem estar afim
E desvia na janela logo ali.



Sombras perduram
Do passado que aqui te vi
Marcas que ainda relutam
Quando penso que um dia estive em ti.


Alma irrequieta, sabes que sou
Do meu calmo devagar aconchego
Sempre a te esperar estou
Quando ainda lembro o toque do teu beijo.



Mas, me restam somente as sombras
De uma vida peregrina
E por mais que tu te escondas
Serás sempre apenas minhas ruínas...



Ruínas de uma casa velha de Ivorá na Quarta-Colônia. A quem insista em dizer que são ruínas da minha alma, será? Ta aí uma boa pedida pra quem gosta de por a mochila nas costas e descobrir coisas diferentes, simples e misteriosas.

Uma homenagem pra quem pediu mais um pouco das minhas fotos...Valeu amigos...

6 commenti:

Tiago Medeiros ha detto...

Oi senhorita, não sei se vc acredita...

Fazia tempo que não passava or aqui. O teu convite mais recente e o aniversário de 100 postagens foram determinantes para a minha volta.

Gostei muito das fotos e também da poesia... Mostra a sensibilidade que tu não deves esconder jamais.

Bjão

Lucas Tedesco ha detto...

Muito massa as fotos... E tu escreve excepcionalmente bem. Adicionado as paginas favoritas, tornarei me um leitor assíduo... hehehehehe. Bjos

ClariDeggeroni ha detto...

Sera a Fenix renascendo das cinzas? Sera o pouso de um passaro?
As vezes temos que olhar as nossas ruinas para perceber se a historia que parece estar sucumbindo as interperies da vida e do tempo foi bela. No teu caso a resposta eh tao obvia (SSSSSIIIIMMMM!!!!). Para quem tem o espirito aguerrido, isso eh suficiente para ressurguir. Ai, os passaros voando sao questao de tempo... Beijao!

Francieli Rebelatto ha detto...

Sim, clarissa questão de tempo, vou ter que providenciar alguns pássaros para ti, ou seria para mim???beijos

Fernando ha detto...

Como posso não admirar, quando mais não amá-la? Explicações pra que se tudo está dito através desse olhar e dessa poesia. Depois me digam oq fazer com tanta competência...bj menina...

Anaqueli ha detto...

Fran! lindas fotos!concordo com a Clarissa q diz q as vezes temos que olhar as ruínas de nossa vida ....
acho meu momento propício...hehehe
bjus