mercoledì, dicembre 13, 2006

Me levaste contigo, ou será que um dia cheguei a voltar?

Conduzia meus passos, minha mente apenas divagava na tua presença. Senti que perdia o sentido do meu caminho e permaneci apenas nos traços que me propunha. Esqueci das facetas da minha vida e me entreguei ao brilho confuso de teus olhos verdes, que dispersos pouco olharam nos meus.

Prendeste-me dentre as horas, os minutos, os segundos daquela tarde vazia em Santa Maria. Deveria ter ido por tais ruas, mas prefiri acompanhar teus passos. Não conseguia me desvencilhar da tua presença e virar as costas para ti era como te perder aos poucos.

Por isso me desfiz de tudo e permaneci, contigo, com teus conflitos, com teus caminhos, com teus sonhos, com tuas palavras. Ambições, complementos de mim, distantes de tudo. Viajei entre teus passos, entre teu sorriso, entre tuas piadas infames, entre as cores do teu trabalho, entre meus sentimentos.



E depois de tudo, você diz que eu dificulto as coisas. Porém, amigo não sou eu, mas sim, minha alma que se dá conta que nada mudou: minhas mãos suam, minhas pernas se desnorteiam, meu olho brilha, minha garganta seca. Beijo-te, então, com saudade e vontade de tudo mais. Fecho a porta do seu carro e você me leva contigo. Simplesmente.

6 commenti:

Anonimo ha detto...

francieli tu permaneceste... não fostes, nem chegaste... não saíste do sitio, perdeste-te nos seus passos, no seu olhar e no fim sentiste exactamente o mesmo que no ínicio, pois a alma e os sentimentos mais primários ninguém consegue enganar...
beijinhos e fica bem.

delfim peixoto ha detto...

Bem... que em mimestás, estás! Mas acho que a pergunta não é para mim, por isso acredito que deves pensar que permaneces em ti... e até acho que por vezes é mais seguro!
jnhs doces

Estranha pessoa esta ha detto...

Denuncias a tua própria vontade! :) **

Anonimo ha detto...

O amor é um conflito permanente, nem tu preciso de dizer. Mas por isso é amor, senão seria outra coisa.
Bem diferente é sentirem-nos a mais, ou sentirmo-nos a mais.
Mas o que são palavras? Porque insistimos em passar para palavras o sentir?
Só complica e muitas das vezes, complica e de que maneira!
Agora não “vás” só por ir, vai sim se o desejares e te desejarem.
E nunca, por nunca deixes que te “levem”...
Aproveito para desde já te desejar um Santo e Feliz Natal!
Bj’s

Fúria das Águas ha detto...

Lindo texto, as vezes vemos que acabou e nem mesmo temos forças pra ir embora.
[Um beijo e bom fim de semana.
Furia

Banlieue ha detto...

oi Alemoa xarope

Visita lá o nosso blog e lê a minha poesia...

bjo