mercoledì, febbraio 21, 2007

Com os enganos, as verdades...

Não queria hoje ser portadora de palavras tristes, quanto mais depressivas, não quero relembrar breves coisas de um breve passado, porém já passado. Mas, visto que encontrei num livro que estudo para minha mono um texto de Dotoieviski que devo levar em conta na minha vida, então por isso, volto há um pouco de reflexão, em relação aos meus atos, aos nossos atos. Até mesmo aos atos dos hipócritas e por que não do meu eu poético.


Vamos ao texto então: “Eu gosto disso, de que a gente se ‘engane’... É a única coisa em que o homem é superior aos outros organismos. É assim que se chega à verdade. Sou um homem e é porque me engano que sou um homem. Não se chegou nunca a nenhuma verdade sem ter-se enganado ao menos quatorze vezes e isso é talvez um caso singular em seu gênero. Mas sequer sabemos enganar-nos de uma maneira pessoal. Um erro original vale mais que uma verdade banal”.


Diz-me, como não trazer essas palavras à tona, para quem me conhece, aliás para quem conhece Satania, sabe que essas palavras não passam despercebidas, quanto menos sentidas. Delas sugo tudo que renova minha alma, que enxuga minhas lágrimas, enfim, tiro a vitalidade, a serenidade e a verdade e isso me basta, isso me faz mais uma vez perceber que tudo volta ao normal. Mas depois de perceber meus erros, percebo que o que mais tive foi engano. Engano no ombro que se dizia amigo, engano nas palavras doces que salpicavam da saliva falsa, engano no brilho do olhar artificial, engano na amizade exposta que nada mais era do que hipocrisia.

Depois dos enganos, sou melhor, meu eu poético é mais puro e perto de mim, só os resultados desse engano: o olhar verdadeiro, o ombro de fato amigo, as palavras que me fazem mais forte, a amizade mais confiante.


Dizem que todo mal remete a um bem. Comigo foi assim, espero que você que lê as entrelinhas da Satania também, se engane o suficiente para saber com quem pode contar.

Fotos e texto: Francieli Rebelatto

3 commenti:

nadia ha detto...

Feliz da pessoa que admite e reconhece seus enganos e não tem medo de encará-los,sim, pois é só assim que se vive intensamente, como tem que ser. Há pessoas que não se enganam tanto, que não erram muito e por sua vez não vivem, não conseguem enxergar a maravilha do mundo que alguém que se engana, que erra, que sofre, vê. Bjs

Kristal ha detto...

Você fez curso de fotografia ou é auto-didata ? Suas fotos são extraordinárias !

Lord of Erewhon ha detto...

Esta Satania me preocupa! :)=
Lêste «Dr. Jekyll and Mr. Hyde»?
JAJAJAJAJAJA!!!

Dark kiss.