mercoledì, ottobre 11, 2006

O que é ser criança?

Esses dias uma reportagem da RBS TV de Santa Maria fez-me pararem frente à TV abismada. Sim, perguntaram a uma menina, de no máximo 7 anos, o que ela gostaria de presente no dia das crianças e ela disse que tava bom um laptop novo. Bom, se ela queria um laptop novo, tudo me faz crer que ela já tenha um em casa. Fiquei abismada e quem não ficaria? Outro menino disse querer um celular, esse também, se tiver oito anos era muito. Mas enfim, acho que se foi os tempos em que o brinquedo preferido era uma boneca bárbie, um carinho desses sem pilha, para brincar na areia da praça.

Mas, também o que dizer disso tudo, quando a própria mídia fomenta esse tipo de valores das “novas” crianças, como digo sempre: “monstrinhos vistuais”. Sim, por que mais uma vez parei abismada em frente à TV, mas desta vez foi a publicidade que me chamou a atenção, num desses comerciais de sandália. Primeiro tudo era cor-de-rosa, depois três meninas combinando de se encontrar, cada uma teclando do seu notebook e depois cada uma com seus modernos celulares, falam como se fossem as mulheres, adultas, independentes. Pensei: vão aprender a “limpar a bunda” como diz a minha vó.

Vai dizer vivemos numa sociedade permeada pelas mudanças contínuas, em que crianças cada vez mais cedo têm acesso a tecnologia e passam a fazer parte dela assustadoramente, sofrendo com isso uma forte antecipação da vida adulta. Bom, isso é o que acredito. Mas, porém vejam que outras realidades ainda existem, quando estive na Amazônia, no começo desse ano, na aldeia dos índios Tikunas, uma das coisas que mais me chamou a atenção foi o dom natural das crianças para a arte, para cuidar de seus irmãos mais novos, para conhecer a natureza. Era admirável a curiosidade brotando a todo minuto, quando uma coisa nova lhes era apresentada, com um brilho no olhar, aquele brilho verdadeiro que deve ter uma criança, elas se aproximavam tocavam de leve e davam um sorriso maroto, como se fizessem algo proibido.

Ali vi verdadeiras crianças... Mas enfim, desafio você leitor a responder comigo: O que é ser criança? Acho que já deixei aqui algumas impressões do que de fato acredito ser criança, mas mesmo assim, vou responder um pouco além. Através das imagens.

Inocência no olhar.

Curiosidade no olhar.

Silêncio no olhar.

Apreensão no olhar.


Proteção no olhar.


Timidez no olhar.

Altivez no olhar.

Alegria no olhar.

Fé no olhar.

18 commenti:

Francieli Rebelatto ha detto...

Uma breve homenagem ao dia das crianças...Parabéns criançada...

Bia ha detto...

hoje em dia ser criança não é tarefa fácil! os pais não têm grande tempo para os filhos, por isso as ditas crianças são compensadas com um montão de brinquedos sofisticados, que os ocupa o tempo suficiente, ocupa-lhes o tempo que os pais não têm.
Mas ser criança mesmo, é brincar na rua, andar de bicicleta, sujar a roupa na relva e ter muitos amiguinhos, ser criança hoje em dia é practicamente impossível...
Ser criança era muito bom, mas na minha/nossa geração... quando brincavamos na rua saíamos de manhã e regressamos á hora do almoço, sem telemoveis, sem agendas electrónicas mas acima de tudo sem perigos...
Um beijinho para ti, o tema dava para ficar horas a escrever.

Fernando ha detto...

Fernando, ser criança é ter a infância que a gente teve. É ter muita vontade de descobrir as coisas, e de manter o mesmo brilho intenso no olhar.

Feliz dis das crianças. As imagens estão muito legais, parabéns, que bom que está dando certo teu velho sonho. Minha fotógrafa preferida.

Bj e não esqueça adoro-te.

Fernando

Francieli Rebelatto ha detto...

Concordo Bia, realmente ser criança já não é mais tarefa fácil, pelo simples fato que não nos permitem assim ser...

Mas quantas coisas poderímos falar delas, aliás de nós.

Fernando, saudades imensa da nossa infãncia, dos carrinhos de lomba, de tanta coisa, incontáveis na verdade, que fase bem boa...

beijos e obrigada a visita...

Louco de Lisboa ha detto...

É, muitas pessoas têm que rever o que entendem por criança!

Kiss, até outro intante!

arritmias ha detto...

e eu relembro essa inocência que morava no olhar e que se foi perdendo... beijo acriançado

kikas ha detto...

Acho que hoje em dia criança é enquanto a mãe veste o seu filho. Cedo eles se tornam independentes e brincar com os ditos brinquedos já não tem piada.
Crianças fomos nós, que brinca-mos sem problemas, que passava-mos os dias sem que ninguem nos procurasse, que viajavamos sem cintos de segurança, que faziamos esfoladelas no joelho e uma simples agua limpava. Crianças fomos nós que vivemos a brincar na rua com os amigos. Hoje, com muita pena minha digo, as crianças não sabem o que é serem crianças.

efvilha ha detto...

Olá Francieli.
Creio, cada vez mais, estarmos no limiar do "Admirável Mundo Novo". Toda vez que releio esse livro, aumentam as minhas inquietudes quanto ao destino do que ainda somos. É muito pertinente esse comparativo que você faz entre as crianças deste limiar da era tecnológica, com aquelas que ainda vivem nas aldeias.
Bons tempos aqueles em que um livro era um bom presente.
Cordial abraço.

cavalo marinho com asas ha detto...

Que bom é ser criança com a consciência de o ser!
Correr, saltar, rir de tudo e de nada... Sonhar, dar asas ao sonho e voar!
Ser inocente com a sabedoria própria da sua inocência!
Acordas-te a criança que existe em mim!
Adorei este teu espaço... Fez-me voar!!!!

P. Guerreiro ha detto...

Belo...O silêncio do olhar...Como só uma criança.
Cada vez mais a educação das nossa crianças é feita pela TV, sem dor, sem nos dar-mos conta. O pai trabalha, a mãe também...Entregues nas creches,nas escolas, nos tempos livres, á televisão enquanto se faz o jantar...Adormeceu no prato? Amanhã é outro dia.
Também as rotinas são adultas.
Gostei do tema, gostei das fotos...Foram estas que me levaram a comentar...Peço desculpa se fui inconveniente.
Um abraço e bom fim de semana.

P.S. Vim cá ter através do acaso...Num daqueles dias de descobrir blogs...

vida de vidro ha detto...

Quase já não há espaço nem tempo para ser criança na sociedade actual. É triste e não contribui em nada para o equilíbrio do adulto que está em construção. **

Andreia do Flautim ha detto...

Bem, há muitas crianças precoces... Eu até acho bem que lidem com as novas tecnologias, mas tudo o que é demais...

Francieli Rebelatto ha detto...

Obrigada pela visita pessoal desculpa não responder para todos, mas é que essa vida de adulto ta uma correria, por isso estarei ausente mais alguns dias...

E por que também, meu querido irmão, estará casando esse final de semana...e vai ser um momento lindo...

Um ótimo final de semana a todos...beijos

Valeria ha detto...

E me veio uma saudade sem fim da epoca que eu era simplemente "criança" !
Mas nao posso deixar de comentar do seu texto em meio a fotos extremamente bem colocadas ...parabens !
grande abraço ...

Lilliput ha detto...

é impossivel apontar responsabilidades, a sociedade está a avançar a passos largos para valores duvidosos, o vazio e a solidão da multidão cada vez é maior, não podemos comparar uma criança de hoje com uma criança educada à vinte anos , hoje existe um universo aliciante direccionado apenas para elas, qd eu era pequena tambem imitava a minha mãe a cozinhar a passar, a tratar dos bébés, isso não fez de mim uma mulher submissa, ou limitada, hoje as crianças fazem o mesmo imitam os crescidos com os seus brinquedos, espero q daqui a vinte anos sejam adultos conscientes, mas isso só o tempo o dirá...
Em relação ás diferenças socias, essas sempre existiram, depende agora de nós a nova geração adulta, aquela que cresceu a brincar na rua, sem telemoveis nem computadores a fazer alguma coisa.
Beijos

Kafé Roceiro ha detto...

Muito legal! Ser criança é meio que simples... Acho que os pais é que ensinam o consumismo exacerbado! Minha amiga, como você faz para colocar nome nas fotos? Me ensina?

ClariDeggeroni ha detto...

Infancia eh sobretudo a possibilidade... de descobrir, de acertar (isso para os adultos), de questionar. Os 'pequenos' me encantam basicamente por isso e porque estao mais abertos para aprender. Depois, caso a infancia nao tenha sido plena, com o passar dos anos, o nosso inconscinte vai nos preparando armadilhas, e o mundo tende a ficar pequeno. E isso eh tao triste... sejamos sempre crianças!!

Anaqueli ha detto...

lindo texto! e lindas fotos!!!!parabéns!! bju pra ti bruxa!