lunedì, novembre 07, 2005

Falem sobre mim, mas escrevam bem...

Esse texto que aqui posto foi escrito em 2004, por um grande amigo, e o coloco aqui por dois motivos: primeiro por que ele escreve sobre minha pessoa, e segundo por faz isso com muita competência, no qe diz respeito a minha pessoa e ao texto em si...Algumas partes não aparecem, pois o texto é longo demais e traz coisas que nem todos precisam saber, para isso se arrisquem a me conhecer...


Satania

Eu, que desde meus tempos primordiais, converso com anjos e demônios, tentei deixar meus velhos amigos e grandes companheiros das longas horas
de solidão. Decidi abandona-los e não mais ouvi-los por esse motivo, por não mais ouvir os espíritos, fui castigado (ou presenteado!) por Deus (ou pelo diabo!). Meu castigo é ter que conviver com um demônio, só que agora materializado, de carne e osso, tão humano quanto eu.
Olho. Lá vem ela! Não com movimento extravagantes, com o cabelo esvoaçante, em câmera lenta, como no cinema, mas sim como uma garotinha da terceira série saindo para o recreio, correndo e saltitando.

Seu nick é Fran. Francieli Rebelatto é seu nome verdadeiro. O Rebelatto vem do latim Rebelatun e significa Rebelado, rebelde. Esse nome revela, além de sua personalidade, sua verdadeira identidade: ela é um demônio, ou melhor, uma diabinha. Uma linda diabinha! A Satania a que o poeta refere-se e de quem também foi vitima.

O diabo é um cara esperto e astuto, disso não há dúvidas! Apesar de Fran ser uma diabinha, tem a aparência de um anjo, com seus cabelos loiros e cacheados, como os do anjo Miguel, que eu vi na igreja quando garoto. Além, disso, ela é meiga, com seu sorriso bonito e radiante, que é capaz de iluminar a noite mais escura que já existiu ou possa existir. Sorriso que seria a solução para os seis meses de trevas que cairiam sobre o planeta devido ao cogumelo nuclear causado por uma guerra atômica. Ela parece uma garotinha de sete anos, pura, ingênua, inocente... E seus olhos, então!!Olhos claros, tranqüilos como o mar de uma praia do Caribe, mas que, ao mesmo tempo, transmitem a sensação de uma destruidora Tsunami causada por um Furacão na Flórida ou no Hawai.

Se fosse só isso, só o exterior, eu a elegeria meu anjo da guarda. Mas, como diz o velho ditado, quem vê cara não vê coração. Conhecendo-a mais fundo, conclui-se facilmente que Fran é a própria personificação do paradoxo (...)(o resto ta vetado).
Seu passatempo preferido ( talvez, ou melhor, provavelmente sua missão) é perturbar-me. Ela possui um talento nato para deixar-me irritado! Tudo o que ela fala tem uma leve ( ou nem tanto) pitada de sarcasmo. Tudo o que eu afirmo, ela contradiz ou discorda, mesmo sabendo que não tem razão e não possuindo um único argumento em que possa embazar suas teses. Pior ainda é quando eu falo e ela me ignora; finge que não está presente; parece olhar através de mim.
Por falar em olhar, Ah! O olhar! Ela é portadora do olhar mais provocante, provocativo, sarcástico, desafiante, desafiador...que pode existir. Como se isso não bastasse, ela tem o habito de fixar esse olhar nos meus olhos. Ela sabe que sou dominado pelo Id; que sou 90% animal e 10% racional. Ela também é sabedora que, no Reino animal, olho no olho significa desafio, o que se resolve apenas de duas maneiras: luta ou humilhação! Fico quase explodindo de raiva. Sinto vontade de quebra-lhe a cara! Mas o diabo sabe o que faz: ela é mulher e eu não costumo bater em mulheres. Então eu conto até uns cinco milhões e , embora pareça impossível, controlo-me. Sorrio. Penso que venci o Diabo, mas, minutos depois, vejo que estava enganado, pois ela volta e tudo recomeça...

Já tentei fugir dessa tentação(...) Embora eu tente com todas as forças afastar-me dessa diabinha, nada posso fazer. É como os pólos opostos de um imã: quanto mais eu tento afastar-me, mais me sinto atraído e fascinado! Estou perdido...Não sei mais o que fazer...Não posso fazer nada...Eu a amo!

2 commenti:

Francieli Rebelatto ha detto...

Ta Felipe, juro que não fiz nada...sou uma bruxa boazinha...e tudo isso é ficção...não vou dominar o mundo...ahahahahahha

Velho da Montanha ha detto...

Oi Fran!!!

Confesso que, sinceramente, fiquei com lágrimas nos olhos ao ver meu texto no teu blog. Já ganhei alguns concursos de crônicas e afins, alguns de pouco destaque e outros nem tanto, como o de crônica política da USP, mas nunca fiquei tão feliz com o uso de meus textos. Estou lisonjeado!
E tudo isso graças a você. Obrigado, lorinha!