venerdì, giugno 30, 2006

Sentir que ainda posso ter o reflexo do teu verde olhar, me deixou mais forte...

Mais uma tarde comum. Correria, computador, script, pesquisa (que não anda), falta de inspiração e pensamento em você. Sim, jurei na noite anterior que esqueceria que passaria. Mera ilusão. Pensava em ti, e isso não mudava, penava por saudade de ti e isso não mudava.

Procurava-te nas várias páginas abertas da internet, queria um sinal, na verdade o evitaria. Na mesa do lado, tudo permanecia parado. Só meu celular que resolveu tocar. Pensei no momento que seria algum banco querendo acordo das dívidas (hehehe), algum colega querendo algum favor, ou sei lá qualquer pessoa. Mas bastou olhar o visor para me dar conta de que era meu pensamento, era seu nome na mais perfeita forma, era você? E agora o que dizer?

Tremi ao atender, queria ter dito oi, afinal bastaria, mas disse alô, por que não sabia como agir. Minhas palavras foram breves, despreparadas, pois bastava te ouvir. Tua voz me parecia estranha, mas estava ali a me tocar, a me invadir. Poderia ter dito coisas bonitas que sempre escrevo, poderia ter perguntado sobre tua vida, poderia ter falado à falta que sinto de ti, mas não. Permaneci, ali, imóvel, só ouvindo, atrapalhada, tremendo, encabulada. Por quê?

Você diz tchau, um beijo, e eu? Queria tanto te dizer, mais, bem mais. Mas e aí o que fazer? Isso é o que ficou: o reflexo de teus olhos verdes na minha mente, o som da tua voz e meu desejo de falar bem mais, muito mais. Mas era só uma linha telefônica, e isso parece bastar, mas infelizmente eu quero mais, infinitamente mais, falar, tocar, ter. Quem sabe assim falaria o quanto... Bah, caiu a ligação...Que droga essa tecnologia, pior essa distância. Por quê?
Na foto, o Monte Grappa, em Ivorá , na quarta colônia, um fim de semana perfeito. Dia 25/o6/06. Só não tão perfeito, por que faltou teus olhos, que são tão perfeitos quanto. Nossa! Voltou o romantismo... salve o ritmo dos versos e a cadência das idéias.

2 commenti:

Rodrigo ha detto...

O que dizer...Passaria horas lendo teu blog e nem me daria conta que o tempo passou. Pois vc é isso Fran, pura alma, apesar de manter a aparência de pura carne...Sabe bem o q isso significa. Não sei com certeza se tuas histórias são reais ou apenas fazem parte desse teu mundo ficticio, mas de uma coisa tenho certeza elas cabem muito bem a qualquer ser humano com sensibilidade, eu diria q a todos. Nesse texto muito me chamou a atenção, que sendo real, gostaria de conhecer a tal pessoa q te ligou, pois a daria parabéns, por que sei q é privilégio de poucos te arrancar palavras como essAS, infelizmente. heheheh...

Bjos gata...Adoro-te...

Renata ha detto...

Tais palavras, tais palavras...O que fizeram com nossa amiga Fran, bem lembrado Rodrigo, isso é crueldade...Mas espera-se que seja ficção, caso contrário desconheceríamos, apesar de vivermos situações como essas a todos os momentos...Lindas palavras amiga, lindo sentimento, mas te libera dele, ta na hora de voltar para a nossa realidade...Não achas?? se disser que não, então deixa esse telefone tocar...e atenda com a grandiosidade da pessoa que és...Beijinhos...