lunedì, aprile 03, 2006

Comemorando entre palavras e imagens...

No aniversário de 60 postagens no meu blog, venho até aqui para retomar e de certa forma responder a uma pergunta já feita anteriormente por Leonardo da Vinci: “ Se possuirmos a imagem de uma pessoa amada e um poema sobre essa pessoa, a qual daremos preferência??”. Bom. Eu sou uma grande amante das imagens e das palavras e com essa mescla de linguagem procuro alimentar este blog e minha própria vida.

Não sei ao certo se existe uma resposta exata a essa reflexão e nem desejo que vocês a tenham, pois se escolhemos por uma estaremos abrindo mão da grandiosidade da outra.

Evgen Bavcar diz que é difícil falar da imagem sem relacioná-la à palavra. Essa dupla, imagem-palavra, ao mesmo tempo reunida, hoje e antes, separada, é, no entanto, difícil de compreender e, sobretudo, de conceber como uma igualdade recíproca ou como uma ligação fatal, em que uma sobrepunha à outra. Evidentemente é uma reflexão ao alcance de todos, e cada um pode Ter sua própria resposta, ou, antes, sua própria pergunta.

Assim como há uma subjetividade por detrás das lentes de uma câmera, que remete a escolha do que deve ser mostrado, da seleção de uma entre milhares de possibilidades de mostrar, também existe um jogo de fantasias, quando se deixa brotar do pensamento incontidas palavras.

Tanto a imagem quanto as palavras para mim representam a arte por excelência. Se anteriormente Aristóteles já citava a imagem como um desvelamento, pois seu sentido fora retirado da imaginação (fantasia) seu nome vem de luz (faos) por que, sem luz não é possível ver. Também Pablo Neruda busca nas palavras a descrição para seu sentido completo: Pois segundo eles as palavras Têm sombra, transparência, peso, pernas: Têm tudo que lhes foi agregando da tanto rolar pelo rio, de tanto transmigrar de pátria, de tanto serem raízes...São antiquíssimas e recentíssimas.

Então, não pretendo fazer uma escolha entre imagens e palavras, mas sim usar-se da grandiosidade dessa mistura para lhes servir nesse blog através de imagens e de palavras fragmentos de percepções que tenho desse mundo e de tudo que faço. E se imagens e palavras são arte vale lembrar Maurice Merleau- Ponty: “É a felicidade da arte mostrar como algo se põe a significar, não por alusão a idéias já formadas e adquiridas, mas pelo arranjo temporário ou espacial de elementos.

2 commenti:

Fausto ha detto...

Palavras! Não, imagem! haha... Difícil, difícil.
Pensei assim: A imagem pode mostrar tanta coisa e, ao mesmo tempo, não mostrar nada. Um sorriso falso, uma falsa beleza... A palavra é mais pura, faz transparecer o que há dentro da pessoa, o que é muito mais importante que essa carcaça que carregamos. Masssss, a palavra não pode passar falsidade também? Bom, deixemos esse sentimento chato de lado... Prefiro a verdade... Sempre! Mas ainda creio que prefiro a verdade da palavra... Toca mais... Então continua escrevendo pra nóis, menina linda!
(como eu nunca soube que tu tem um blog?haha...)
Mil beijos para você, coisa querida!

Anonimo ha detto...

VC tem um BLOG...COMO É QUE EU NÃO FIQUEI SABENDO DISSO....
O poema ou a imagem, bom não sejamos simplistas as pessoas não podem ser definidas por um meio só. seria menosprezaro seu todo , e sou contraa análise de partes pois comprometem o todo...Some o poema, a imagem, a voz , e o cheiro, e ainda suas açoes e defina a pessoa amada, ou descubra que ela não é tão Amável, Mas não se concentre em partes ...Respeite a complexidade de cada um.

Bjo índia.....
ARLINDO ORLANDO