giovedì, gennaio 18, 2007

Ando por aí tentando te encontrar: em cada esquina, em cada olhar!!!

Queria eu também encontrar uma tartaruga gigante com cara de leão e nela mergulhar como se mergulha na própria solidão. Fugiria do dia, da noite, da lamúria. Fugiria do sorriso, da falsidade, da maldade, da própria vida.

Lá dentro me alimentaria do contato com a pele interna da minha tartaruga e ela também de mim tiraria tudo que precisasse. Seríamos cúmplices de segredos perversos, de desejos indecentes. Caminharíamos de mão dadas pelos caminhos tortuosos e bonitos da face escondida de nosso futuro incerto.

Sentiria suas curvas e tessituras, me sentiria mais plena e segura. E então, depois da intimidade bonita de nossos dias resgataria daqui de fora também aquela face da qual desejaria dividir minha alegria. Aquela face que faz meu olho resplandecer, mergulhar sem sentido nas poesias indevidas.

Nós três passaríamos longas noites cantando ao sabor das nossas peles úmidas, delirando sonhos verdes como nossos olhos, seríamos amantes vulgares dentro da nossa tartaruga e seríamos conde e duqueza nas vielas internas de nosso mundo, do nosso refúgio encantado.


Enfim, queria eu viver dentro de uma tartaruga gigante, queria eu te roubar pra dentro dela: fugiria da tarde quente, da chuva fria, dos olhos invejosos e das possibilidades do findar do dia. Fugiria das minhas fraquezas, das minhas vontades fugidias e seria eu, seríamos nós: plenos, dignos, seríamos enfim verdadeiros e isso nos bastaria.

Porém, cá estou! Divagando em palavras descuidadas, entre decepções dilaceradas. Vivendo entre ilusões maltratadas, entre a saudade desolada. Entre tua falta e a procura de uma tartaruga. Por isso, sinto vontade de gritar ao mergulhar nas entranhas da minha tartaruga.

Venho até vocês, me refugiando em Satania, para lhes pedir que ao encontrarem uma tartaruga gigante, com cara de leão e que come pílulas coloridas que gritem bem alto, para que ao soar o final dessas palavras eu possa então me refugiar.

10 commenti:

Anonimo ha detto...

(desculpa mas o título não tem um erro? - verem ou virem?)
Mas gostei
jnhs doces

Naeno ha detto...

Lindos pensamentos. A metamorfose que todos já quizemos ou ainda queremos. Queremos ser diferentes, não a chamar a atenção, mas sermos algo que mude, que dê a este mundo às nossas vidas ouras direções.

Adorei a poesia abaixo.

Vais longe, menina. Pena que daí onde estais a tendência é distanciar-se mais da gente ainda.

Mas o sentido, o rumo quem dá somos nós mesmos.

Um beijo na pele do teu coração.

Naeno

collybry ha detto...

Um dia decerto, acharás...bjoca e meu rasto___________Cõllybry

Anonimo ha detto...

Parece-me que tu é que terás que criar a tua carapaça. :)
Escreves muito bem. **

Anonimo ha detto...

somos muitos os que andamos por aí em busca de algo...
adorei o texto está divino!

Bjs e bom fim-de-semana*

Anonimo ha detto...

Olá saudades...
Linda essa comparação... se nós fossemos tartarugs gigantes, além de termos a casa ás costas estavamos bem mais protegidas, não é assim? Mas não te escondas, mostra-te sem medos e tira a cabeça de dentro da carapaça...
adorei um beijo

Miudaaa ha detto...

és tu, sou eu, é ele, é ela... somos tantos os que andamos nesta vida procurando e acreditando que um dia, quando menos esperarmos, vamos ENCONTRAR, num olhar... o que... SIM... o que !!!

um beijo da miudaaa. Adorei.

Frederico ha detto...

Te vi no blog da Kristal, te achei gatinha e resolvi vir aqui lhe conhecer. Só isso.
Beijos.

Nilson Barcelli ha detto...

Gostei do seu texto, pelo inusitado da tartaruga e pela construção da narrativa.
Um bom Domingo.
Beijos.

Klatuu o embuçado ha detto...

«uma tartaruga gigante com cara de leão»?? em «satania»? Nossa!
Vampiro... serve? :)=

Dark kiss.