giovedì, gennaio 25, 2007

Suor e torpor...

Teria deixado derramar o suor tolo
Do corpo despedaçado que corrói
Preferi o desassossego da incerteza
Ao espelho nu e descrente


Teria descoberto o escorrer das mãos
Das pernas dilatadas e maldizentes
Preferi o refúgio do medo banal
Ao brilho escandaloso do sorriso que se abria

Teria descrito cenas sedentas
do sexo exageradamente falso
Prefiri esquecer os desejos lépidos
Ao tocar tua virilidade senil


Prefiri esconder-me em ti
Ao reconhecer minhas próprias mãos.

Ao perceber meu prórprio suor e meu próprio torpor.

Poesia: Francieli Rebelatto

Foto: Francieli Rebelatto

Ator: Cícero, lindão

3 commenti:

brisa de palavras ha detto...

Mas que beloooooooooo rs
um abraço
brisa de palavras

Anonimo ha detto...

Olá Francieli

Lindo!
Mais uma vez nos presenteias com um lindíssimo texto.
Está demais! Adorei

Bom fim-de-semana
beijinho

aqui-há-gato ha detto...

Humm... Quase uma dualidade entre o sexo que corrói e a incerteza que fere...
Prefiro suar... Mesmo que tolo!


*Não sei pq... Mas gosto de te dar a mão:) mesmo que assim de longe:)
Te cuida e... Aquele beijo!


Miau do gato