giovedì, settembre 21, 2006

Incolores idéias verdes dormem furiosamente


Nas palavras de Chomsky, que não sei onde as encontrei, me ponho mais uma vez a lamentar o fatídico fato de não mais ter palavras para aqui despejar.

Sim, me sinto vaga, vazia, superficial. Não sei ao certo como explicar esse sentimento que me abala quando elas saem da minha vida. Por que as palavras têm alma, e quando as maltratamos, elas saem silenciosamente do nosso mundo, nos fazem penar pela sua falta.

Até o dia em que nós meros escritores, sentimos-nos obrigados a jogar-se aos seus pés, implorando para que façam parte de nossas mãos, dos nossos olhos, da nossa alma. Mas, de fato elas são cruéis e então aqui estou praticamente implorando para que elas voltem: subjetivamente, objetivamente, bonitas, tristes, indignadas, furiosas, vagas, dilacerantes, honestas, perspicazes.

Nossa! Realmente as sinto como pessoas, mas são seres muito mais grandiosos essas tais palavras, essas tais idéias. Enquanto imploro: incolores idéias verdes dormem furiosamente.

10 commenti:

sotavento ha detto...

Apesar de não te teres apercebido, acho que elas já aí estão!... :)

Redd ha detto...

tem hora que as idéias gostam de brincar de esconde-esconde... será que se a gente prometer um sorvete pra elas, elas aparecem???

little_blue_sheep ha detto...

oi!
talvez as verdes ideias precisem de um despertar...talvez com um beijo como na história da Branca de Neve...não?...
;)

Francieli Rebelatto ha detto...

Sorvete??? Por que não...Como Branca de Neve, também não é uma má idéia, obrigada gente, vou tentar...Abraços...

Maria ha detto...

Também tenho sentido um bloqueio dentro de mim, mas ao contrario de ti não o consigo libertar.
Soltas-te o que te silenciava com palavras tão suaves que com dizes se transformam em pessoas, seres reai com movimento.
Adorei o teu desabafo silencioso.

Louco de Lisboa ha detto...

Letras que quando juntas formam palavras que quando juntas formam frases que quando juntas nos dizem tanto.

Entrego-te um beijo envolto num sorriso, até outro instante!

(as palavras existem, nem que seja em pensamento, estão sempre presentes, até quando se sonha...)

VEM SONHAR COMIGO ha detto...

Tão bonito...afinal sempre apareceram.

Estão na tua Alma, no teu sentir...

Beijocas
Doceando:)

Claudia Perotti ha detto...

E que surpresa teu blog!!!
Agradeço-te os rastros na minha página e voltarei.

Beijinhossssss

Kristal ha detto...

Idéias adormecidas que estão acordando em você podem alterar destinos retíssimos.

aprendiz de viajante ha detto...

Há quem saiba usar as palavras da alma... e essas tocam-nos de uma forma brutal, por vezes até queimam...

Um bjo e bom fds