mercoledì, novembre 15, 2006

Passam corriqueiramente sobre o papel...


Nas entrelinhas da minha alma
Veria tudo apagado
nas entrelinhas das minhas palavras
estaria tudo revelado...

Correriam entre a penunbra
os dizeres de palavras soltas
mas diria mesmo temendo
e se não dissesse haveria de não ser minhas


Esbravejo, escrevo, deleito-me
sobre as entrelinhas, as linhas mesquinhas
do sentimento, de um tormento
de teus olhos que não vejo passar
mas me detenho em esperar...

12 commenti:

... ha detto...

Adorei este cantinho,vou voltar, escreves muito bem!
Bjocas

melgadoporto ha detto...

Olá, Franci , se me permites que te trate assim :)
Desculpa só agora vir aqui, mas as viagens para o Brasil têm estado fully-book :)
Uma das maiores delicias da língua portuguesa, que partilhamos, é sem dúvida alguma a sua capacidade de transmitir milhares de “sabores” numa mesma palavra.
Sabores, uma vez doces outras vezes amargos.
Parecem “mutantes”, tipo super-herói e como tal espantam-nos e assustam-nos.
Espantam-nos porque, por vezes, transmitem “coisas” que lá não estão, conseguem mesmo ser cruéis. E espantam-nos quando se sentem simbioses, impensáveis.
É este o espantoso mundo das palavras. Um esperar e um lançar de olhares sobre nós, sobre os outros e sobre o mundo.
Beijo
*Quem espera sempre alcança. Devemos acreditar que sim.

Redd ha detto...

eh... eu ando vivendo nas entrelinhas...

Francieli Rebelatto ha detto...

Entrelinhas...vagas, contraditórias, bonitas, misteriosas, poéticas...
Linhas, retas, planas, profundas, de meu rosto abandonado , das minhas entranhas ignoradas...

Linhas, entrelinhas, te esqueço, ou fujo do que sinto nas linhas e entrelinhas, minha hipocrisia me faz permanecer..inerte, vazia, infecunda...

Anonimo ha detto...

Lindo!!!
É bom, passar e ficar por aqui!!!
bjs doces

Riscos & Rabiscos ha detto...

Adorei este teu poema, gostei de saber que te ves nas entrelinhas, é sinal que estás em ti.
Sinto-te triste de alguma forma, mas acredito que tudo o que tens escritos nas tuas linhas te mostre a pessoa que és.

Kikas

Z ha detto...

Moça linda...

Fenix ha detto...

...
Creio que suas palavras refletem um pouco do que sinto. Escrever alivia a alma... Belo texto.

Marina ha detto...

nossa...

adorei!!!!!....

beijos!!!

bom fds

te mais

ClariDeggeroni ha detto...

Parece-me enfim que estás voltando a ter a força que sempre tiveste... Ou seria uma força nova? Palavras marcantes, um poema que parece ter leveza e ao mesmo tempo intensidade... Enfim, as palavras da alma, por mais que ela esteja desvanecendo, é que dá vida para as letras....
Abraços

Bia ha detto...

E é nas entrelinhas que nos encontramos, que somos mesmo "nós"...
o que escreveste é lindo e sentido, mas cá para nós se esses olhos não passarem, abre bem os teus e não sofras, de certeza que vão passar outros. Lembras-te do que me disseste uma vez? Ninguém merece...
beijinhos e fica bem e que esse olho verde volte a brilhar.

Anonimo ha detto...

Olá Francieli

Vim me despedir

Beijinhos