martedì, agosto 22, 2006

Elas se despreocupam, eu corro atrás. Tempo.

Sentada no canto daquele ônibus frio, aos poucos uma revolta começa a crescer dentro de mim. Lembro-me dos textos que ando escrevendo e dos que gostaria de escrever, e assim, me ponho a buscar o porquê das poucas idéias, das palavras repetidas, as sonoridade já conhecida.

Não demoro muito ao chegar em casa, no meu quarto também frio e encontrar a resposta. Na cama roupas desregradas disputam lugar uma com as outras, o pó que cobre meu computador, a cama que continua desarranjada e sobre minha escrivaninha, livros técnicos, de fotografia, de documentário, jornalismo, semiótica. Senti aos poucos novamente uma ira implacável, uma vontade incontrolável de por tudo ao meu redor a baixo, de por um fim naquela papelada toda mórbida que aos poucos poderiam se desfazer assim como meu incenso de Lótus.

Apenas uma criança, na verdade alguém que não precisa ainda se preocupar com o tempo
Falta literatura entre meus livros, faltam algumas horas pra assistir um filme, faltam minutos para tomar café com meus amigos, faltam segundos para viver a vida do meu jeito e como ela me faz feliz. Sobra pressão dos horários que tem de ser cumpridos, das disciplinas medíocres que tem que ser fechadas, dos entrevistados mal - humorados que têm que ligar, sobra mediocridade desse mundo ingrato e da forma de vida que nos impomos.

Falta, porém inspiração, fatos que engrandeçam minhas vivências com a sociedade, falta repertório, falta uma conversa animada no fim da tarde, falta a caminhada no bosque, falta um banho de 1 hora, falta duas horas para ler meu livro preferido, falta café, por que sobra a preocupação com grana.

Muito mais do que um retrato, alguém que não precisa mais se preocupar tanto com o tempo

Corro contra o tempo, e vivo uma vida medíocre, por isso a impaciência com as palavras, a saudade de outros invernos e a vontade de mandar o mundo a puta que o pariu, me fazem ver que já não tem sentido viver desse jeito. Pois, é isso vivo na mediocridade de passar mais um dia sem senti-lo de verdade. Vivo na mediocridade de palavras repetidas, por não tenho procurado um novo vocabulário. Aliás, não tenho vivido nenhum capítulo mais interessante da minha vida. Nessas horas me lembro sempre desse verso:

Caminho é este
Tem pedra, tem sol
Tem bandido, mocinho
Você amando, você sozinho
É só escolher
Ou vai, ou fica
Querem saber, a vontade é de por a mochila nas costas e dizer FUI.

13 commenti:

Francieli Rebelatto ha detto...
Questo commento è stato eliminato da un amministratore del blog.
Fernando ha detto...

calma-te diria, pois vontade de dizer fui, não é só tua. Tudo se arranja basta não desistir de ser a bruxa guerreira de sempre.

bj menina.

Francieli Rebelatto ha detto...

não desisti, só desabafei, heheheh...mas que ta difícil ta...Mierda...bj fernando...

Renata Santini ha detto...

Fran,
A ira que nos consome por razões de tempo às vezes é fruto de uma complicação que criamos em função do nosso próprio cotidiano. quem vê de fora muitas vezes não acha tão complicado, e até nos dá conselhos sobre como resolver a questao, pois o problema nao está no cotidiano dela, e sim no seu, por isso é tão complicado.
Sairmos por um instante de nossa posição e nos colocarmos em uma situação diversa/oposta é uma maneira de resolver as coisas.
Eu sei que às vezes é difícil mudar radicalmente. Antes, quando eu costumava trabalhar com meus projetos de ateliê de design, ficava até as cinco horas da manhã acordada. Hoje, como meu trabalho se resume à leituras e computador, sou obrigada a dormir às onze e acordar às seis e meia, se quiser fazer tudo.
Nao adianta, a gente tah ficando velha e se quiser vencer na vida, pelo menos agora que enfrentas trabalhos teóricos, estudos, etc, precisas dormir cedo e acordar cedo!
Vais te sentir melhor..
Fran não esquece que não dá pra fazer tudo ao mesmo tempo!!!! Vc pode estar deixando de realizar coisas importantes pra ti em função de outras que não são tao importantes!!!!
Vamos conversar sobre isso... às vezes, abraçar o mundo infelizmente nao dá.. eu sei que vc precisa viver tudo intensamente, mas não é melhor viver bem vivido, não?
Assim vc está se ferindo, vai por mim que eu, ou aliás, todos passamos por isso, essa vida.

Francieli Rebelatto ha detto...

Filha da mãe sua Renata, isso eu já sabia, heheheheh...Gostei, gostei muito...vamos nos falar sim em breve...

Joshua ha detto...

É também bom falar da desinpiração inspirada, como tu o fizeste, Francieli.

Foi bom ler-te para além da tua descrição.

Bj

Yehoyaquim

marília ha detto...

"faltam minutos para tomar café com meus amigos", "falta uma conversa animada no fim da tarde". tenha tempo pra ti, tenha tempo pra mim... eu vou contigo.

Anonimo ha detto...

Pode te faltar tempo pra muitas coisas, mas tenho certeza que tu faz mais que muita gente a vida inteira... Mas concordo com a tua amiga... dorme.. tb é importante... Eu to sobrando tempo e não estou fazendo nada de muito útil... Eu adoro esse pensamento...mas por a mochila nas costas e dizer fui... não é tão fácil né... muitos estão cansados... e incrível... heheh ... vc tb...to brincando... Te adoro...Nadia

Nadia ha detto...

ah.. outra coisa... assisti a sociedade dos poetas mortos e me lembrei de ti... Escrever, fazer poesia é coisa pra quem é humano, pra quem sente, pra quem vive.... assim ... como você... Uma das fotos é da tua vó né... To muito orgulhosa de ti... nunca tinha tido um "tempo" pra apreciar teu blog... hoje to aproveitando... bjs Nadia(pelo menos alguma coisa útil eu fiz por hoje heheh)

Klatuu o embuçado ha detto...

Bonito este texto.

Hygino ha detto...

Fran!!
Definitivamente estamos vivendo uma vida mediocre com a correria desumana desse semestre. Espero mesmo que a gente possa tomar um cafe, so nao sei quando..a duvida persistente para mtas outras coisas...abraco Fran!

**Obs.Teclado desconfigurado cm sempre!

Francieli Rebelatto ha detto...

Sim, Hygino, desumana, porém nem por isso menos feliz quando comemos batatas fritas no shopping, quando colamos numa prova ridícula, nem vou mencionar de quem, quando almoçamos no RU, quando invadem meu quarto, quando brigamos pelo msn, quando planejamos, planejamos, lamentamos, lamentamos, já percebeu que agora sim somos colegas de verdade, agora sim, somos uma turma, salvo algumas exceções, confesso estou feliz..

beijos e te cuida Hygino, e nosso café ta de pé. atá por que semana que vem quase acaba tudo, por uns dias..beijos

Douglas ha detto...

Saudações...
Encontrei seu blog numa dessas felizes pesquisas que o google não acha o que você quer mais acaba trazendo algo bom. Gostei muito das suas fotos e também do seu texto.
Viver nesse mundo moderno é realmente um desafio... boa sorte...
parabéns...