lunedì, agosto 21, 2006

Lágrimas são palavras da alma...

Devora-me a angústia
de me afastar bruscamente do teu olhar faminto
Devora-me a frieza com que te trato e como me tratas.
Choro por devorar-me por dentro
Por devorar-te ao longe.

Choro por ti,
Na verdade, choro muito mais por mim.

Pela fraqueza de não te falar
Pela fraqueza e medo de te olhar
Choro por que simplesmente vais embora
E nem sequer olha pra trás.

Choro naquelas escadas infames
Por estar presa a um outro olhar
Choro por ter preferido o sabor amargo do álcool
Quando era apenas teu gosto que me saciaria aquela noite.


Choro por que queria te tocar, te possuir ou apenas te falar.
Choro por que optei em te ignorar.
Por que optei pelo meu orgulho e pelos meus julgamentos.

Agora as lágrimas falam pela minha alma
Mas você foi embora naquela noite fria
E eu me dei conta do quanto ainda e sempre te queria.


Nunca foi uma noite tão fria
Nunca fui tão fria ao te olhar
Sim, eu admito que fujo, e você será que ainda me quer?
Minhas lágrimas agora fariam voltar atrás,
Mas creio que já seja tarde demais...

Choro por ti
Choro muito mais por mim...
E por me da conta de que também já és importante na minha vida.

3 commenti:

Renata ha detto...

Choraste, capaz, tu nem é de fazer isso. Tu és capaz de chorar por uma mosca se suicidar num copo de suco. Brincadeira, vou fingir que não entendi, mas se bem que ta na hora de você chorar pra acordar pra vida.

mesmo assim uma bela poesia, eu também chorei. Beijos

Babsi Baker ha detto...

que lindo... "devortar-te de longe"... fantástico :)

beijo grande!

Susana Leite ha detto...

O DCE tá te fazendo chorar? Foi porque tu bebeste pouco.
Ah, e da próxima vez não vai ter ombro amigo.
Viu como eu sou ruim pra ti!